segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Eu não vejo a hora de lhe dizer...

Afasta de mim esse cálice, Chefe!



- 13:45 eu: Eu não vejo a hora de lhe dizer aquilo tudo que eu decorei... =( Será q eu consigo?

- 13:46 *Amiga: amiga, não sei só sei q mesmo decorando não sai do jto q a gente imagina

- 13:47 eu: Com certeza. Hoje eu engasguei no telefone...



Pois é, Diário...Decorei. Passei e repassei o texto na mente várias vezes, começo, meio e fim. Quando eu perdia o fio da meada, passava tuuuudo de novo, só me preparando para o grande momento. A primeira oportunidade. Que veio. Mas eu engasguei. Deu um branco, tentei puxar na minha mente, mas nada vinha. Acho que até a "platéia" esperava uma grandiloqüência, mas só consegui emitir alguns monossílabos, alguns sons, como "errr", "hum", "hã", "aham"...No máximo soltei uma frase de todos os 15 parágrafos perfeitamente empilhados no hemisfério esquerdo do meu cérebro.


E aceitei as pedras de gelo de novo. Tem feito tanto calor ultimamente...Ao mesmo tempo que as ausências oprimem, basta um nome específico piscando no display pro meu humor mudar. E o meu semblante também. E o meu dia. E agora, Chefe? Tenho me contentado com tão pouco e, ao mesmo tempo, como diz a música, sobra tanta falta...
Sobra tanta falta (Teatro Mágico)
"Falta tanta coisa na minha janela
Como uma praia
Falta tanta coisa na memória
Como o rosto dela (e)
Falta tanto tempo no relógio
Quanto uma semana
Sobra tanta falta de paciência
Que me desespero
Sobram tantas meias-verdades
Que guardo pra mim mesmo
Sobram tantos medos
Que nem me protejo mais
Sobra tanto espaço
Dentro do abraço
Falta tanta coisa pra dizer
Que nunca consigo (...)"

Um comentário:

Cyntia Barrozo disse...

Vc não é a única... =/

Amei o poema, apesar de não ser uma das minhas paixões. ;)