domingo, 17 de maio de 2009

A ironia do destino




Bem que dizem que depois de algum tempo, ou quase sempre nunca, os humanos entenderão os desígnios do Chefe. Que Ele escreve certo por linhas tortas...Que as coisas acontecem conforme a Sua vontade e que o Seu plano é perfeito. Geralmente, Ele me dava uma resposta quando me passava, aparentemente sem o mínimo nexo, uma tarefa árdua para resolver. Mas ela vinha depois de algum tempo. Eu a compreendia meio que naturalmente. Como agora.




Como te relatei há uns meses, o Chefe me deu "carta de alforria", exonerou-me do cargo que eu ocupava há anos. Assim, aparentemente, sem mais nem menos. Foi então que eu entendi que Ele passou para o meu substituto imediato a mais árdua tarefa do mundo. Preparar um ente querido - meu - para uma lição bem dolorosa. Muito dolorosa. Ele, o Chefe, sabia que eu nunca seria capaz de cumprir este desígnio. Porque Ele sabe de todas as coisas.




Não obstante, misericordioso como nenhum outro, quero acreditar que o Patrão ainda me deu um grande abono para conseguir passar por mais este - talvez o pior de todos - período de provação. Uma nuvem, daquelas bem volumosas e alvas como a neve, que me protege das pancadas que venho levando consecutivamente.




A impressão que tenho é que parece que fiz um vestibular há dois anos no qual devo ter sido aprovada com louvor para entrar nesta "faculdade". Não sei ao certo quanto tempo durarão as aulas. Espero aprender o que Ele quer que eu aprenda. Mais ainda: quero e preciso ser a melhor aluna da classe. Acredito que na disciplina Ironia eu devo eliminar ainda no terceiro bimestre.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Entre a cruz e a espada

Do pó viemos, ao pó voltaremos?







Meu querido Diário...Depois de umas férias prolongadas, consegui um tempinho pra vir aqui atualizar meus desabafos. Parece que meu tempo de vid..err..tempo de trabalho por aqui está chegando ao fim. O Chefe tá me chamando de volta. O que não quer dizer que eu vá te aposentar. Mas parece que terei que ceder lugar ao meu alter ego. Seja ele qual for. Ressuscitarei ou nascerei de novo? O Chefe ainda não decidiu. Mas já me deu uma árdua tarefa, como só ele sabe fazer.


Lembra do objeto do meu desejo? Parece que está surgindo outro. Tão complicado quanto. Por um lado, ele parece ser uma boa saída pra eu finalmente me desapegar do primeiro. Por outro lado...Bem. Complicação pouca é bobagem. Digamos que uma década de complicações. E alguns pormenores, porque o Chefe adora me dar questões de aritmética pra resolver. Justamente porque sou péssima nessa matéria.


Mas é um problema tão...Instigante...Daqueles que a gente até perde a noção do tempo tentando entender, tentando resolver, tentando encontrar a melhor solução. Em contrapartida, tem outros que, de tão fácil, não merecem a mínima atenção. Por que será que isso acontece?

sexta-feira, 20 de março de 2009

O homem de virgem

Pra quem assistia a Cavaleiros do Zodíaco, este dispensa apresentações





Outro dia me surpreendi, Diário, ao perceber que realmente há ligação entre o cosmos e o mundo real. De acordo com a astrologia, os signos têm mais afinidade com uns do que com outros do Zodíaco, o chamado "paraíso astral". O oposto também ocorre, com o "inferno astral". Pois bem, esse rodízio todo é pra explicar uma coisa curiosa que vem acontecendo com meu alter ego, cujo signo é touro. Diz a astrologia que touro e virgem são o paraíso astral um do outro. Coincidência ou não, os melhores amigos, namorados e afins mais marcantes e recentes dessa outra parte de mim são de, adivinha: virgem!


Parecem astros ao redor do Sol. Com exceção de uns dois que as ciscunstâncias se encarregaram de distanciar, todos são bem presentes no cotidiano do meu lado "B". Na verdade, parece que só eles existem e parece que só eles não têm medo de se aproximar. Parece que só eles conhecem o meu segredo, que têm a chave. À exceção, claro, de um capricorniano aqui, um sagitariano acolá [update: e uns aquarianos por aí]...mas coisa rara. Muito rara. E não menos magnífica, entretanto.


É engraçado como as definições da personalidade dos signos são um verdadeiro raio-x da pessoa. Os homens de virgem que me cercam são todos extremamente organizados, trabalhadores incansáveis, chatos (kkkk), generosos, atenciosos, companheiros, irônicos, sensíveis e...frios - o que talvez seja uma armadura -, exatamente como a astrologia os define.


Ela diz também que a relação entre touro e virgem possui o mínimo de risco, porque ambos prezam a estabilidade, a segurança, a beleza. "A natureza afetiva de Touro poderá ajudar a timidez inerente de Virgem, e o intelecto vivaz de Virgem poderá ajudar a abrir a cabeça de Touro a muitas aventuras do pensamento. Essa é uma combinação maravilhosa, com muito pouca fricção inerente". Além de sermos capazes de encorajar os talentos mútuos, segundo o site http://www.astro.com/ .


Talvez seja isso que os encoraja a se aproximar de um ser tão intimidador (não ouvi isso de poucos). Mais por instinto, já que na minha cara toda essa "natureza afetiva" não está estampada, definitivamente. Mas o fato é que quando olho seus Orkut ou pergunto, naquela clássica conversa de quem está se conhecendo melhor (a não ser que haja motivo para eles mentirem a respeito), não dá outra: 4 de setembro. 5 de setembro. 6 de setembro. 16 de setembro. 20 de setembro...e por aí vai. Incrível.

terça-feira, 17 de março de 2009

Vamos por partes

Como dizia meu velho amigo Jack...






Diário do céu! Como disse Adélia Prado no poema Dona Doida, "fui buscar os chuchus e estou voltando agora, trinta anos depois" pra te contar tudo. Fui me permitir um pouco. E isso tem um preço. Vamos por partes:



  1. Tirei umas férias depois do aumento que o Chefe me deu;

  2. Essas férias eu que pedi, não foi Ele quem achou que eu deveria tirar;

  3. Algumas coisas fugiram do meu controle, mas ainda não dá pra saber se eu poderia controlá-las se não tivesse de férias;

  4. Tem gente que acha - acha, não. Tem certeza - que sim;

  5. Fiquei entre a cruz e a espada, praticamente literalmente;

  6. Mas isso não impediu que eu continuasse de férias, afinal, quando a gente sai do trabalho fica apreensivo com o que está acontendo lá durante a ausência mas ao mesmo tempo tenta não pensar nisso e relaxar;

  7. Realizei um grande desejo. Bem grande;

  8. Mas eu queria mais;

  9. Só que tudo o que é bom dura pouco e esse não fugiu a regra;

  10. E parece que estou aprendendo a conviver com isso. A gente sempre aprende alguma coisa;

  11. Estou voltando pro trabalho. Em Operação Tartaruga. Mas estou.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Aprendendo a me virar sozinha

Já vai ser um sucesso e tanto se a cozinha não explodir!

Desculpááááááá, Diário! Andei ausente demais, mas é que eu tava bem ocupada tentando não morrer (rá! =P) de fome e tentando não pedir ajuda dos universitários. Nem uma coisa nem outra aconteceu, mas posso dizer que houve um certo progresso. Como disse no post Varrendo a alma, não sou nem um pouco prendada, mas devido ao recente choque de realidade, decidi começar a encarar esse pesadelo de frente. Já consigo me dar ao luxo (me dar "ao" ou me dar "o"? Estudar gramática djá!) de não ir almoçar nas casas alheias aos fins de semana. Isso, sim, é que é progresso! Tudo bem que ainda estou na fase da comida "rápida e prática", mas veja só o que eu descobri - nem tudo que é rápido e prático é tão prático como se afirma e, principalmente, saboroso.

Afff...E aprendi isso da pior maneira ao comprar molho branco - que eu adoro - pronto. Que coisa detestável. Engoli em seco (engoli "em" ou engoli "a"? Égua, tô péssima hoje) e prometi a mim mesma deixar de ser...assim, como dizer...tão "rápida e prática" e aprender aquela receita maravilhosa da minha amiga que mora em Londrina, a Gisele.

Outra coisa que descobri é que a louça não é auto-limpante. Tá até agora, à meia-noite de terça para quarta-feira, 25 de fevereiro, esperando por mim, que a sujei ao meio-dia de segunda. Mas meu lema é "devagar e sempre", um dia eu chego ao nível de excelência. Não tenho pressa, já que, como dizem, se o futuro é a Morte, tenho toda a eternidade pela frente. rsrsrs


terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Existe vida após a Morte

Morta-viva!

Existe, Diário! Descobri! Depois te conto detalhes...

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Mudar é preciso

A Morte também pode ser bem humorada


Hoje acordei assim, Diário. Fora a dor de cabeça chata, que me incomodou durante todo o dia, acordei com vontade de mudar minha...errr...estada aqui na Terra. Não sei o que foi que aconteceu, mas um desejo crescente de mudar minha postura sisuda, que afugenta tanta gente (segundo me dizem), de ter mais saúde, de me cuidar, de rir mais, de me gostar mais. Eu hein! Nunca senti isso antes.


De repente, cansei de arrastar correntes. De ser uma mera entidade fazendo única e exclusivamente o seu trabalho, sem esperar nada mais. Sem querer nada mais. Agora, eu quero. Quero aumento, hein, Chefe! (Brincadeira!!!) Acho que o Senhor já me deu esse aumento, mas só agora estou me dando conta. Antes tarde do que nunca.




domingo, 1 de fevereiro de 2009

Desistir ou insistir?

Ser ou não ser, eis a questão [2]

"Eu devo desistir, pra um dia ser feliz? Ou devo resistir? Eu devo insistir?"

Dia desses me peguei prestando atenção à letra dessa música, chamada Eu não sei amar,de Bruno Barreira. E percebi que me enquadro na situação. Diário, será que sou só eu que fica sem saber o que fazer - desistir, resistir, insistir? Pelo meu coração, que sempre mandou em mim, eu insisto! Pela minha razão...Eu desisto e resisto. Até quando? Como é que eu faço pra razão assumir o controle? A médica do SAMU disse que eu tenho que saber o que eu quero...hahahahaha! Não pede coisa difícil, tia!


segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Tantas coisas e nada ao mesmo tempo


Como será a fênix da Morte?



Diário, desculpe a minha longa ausência. É que desde que o SAMU me resgatou aconteceram tantas coisas e nada ao mesmo tempo, que verbalizá-los se tornou uma missão...meio que...intraduzível. O tratamento na UTI vem surtindo alguns resultados imediatos e até curiosos. É claro que o processo como um todo será lento, mas as primeiras conquistas me dão ânimo pra seguir em frente e ter certeza de que acionei o 190 já não sem tempo.




Pra completar, além da alma, meu corpo também adoeceu. Violentamente. Segundo a médica do Samu, era meu último sopro de energia para as coisas antigas e agora virá o processo de renovação. Mas...precisava ser assim, tão violento? Eu hein...Se eu já não estivesse morta...Talvez justamente por isso tudo relacionado a mim acontece devagar e sempre...devagar...e...sempre...d-e-v-a-g-a-r...E, como diz a música: "eu finjo ter paciência".

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Através do espelho

Alguém anotou a placa?

É, Diário...finalmente chegou o dia em que eu decidi chamar o Samu. A pancada ali foi violenta e, até tentei, mas quando eu levantava...Caía de novo. Acho que quebrei as pernas. Os braços. As costelas. E a coluna cervical. Tentei acenar pro infrator, mas ele não olhou pelo espelho retrovisor. Só pude ver sua face, indo embora sem prestar socorro. Os paramédicos disseram que ainda tenho conserto, apesar de tê-los acionado um tanto tardiamente.
Amanhã, 9, eu tinha um aniversário de 9 anos para ir. Mas não vai dar. Vou estar me tratando e, só então, poderei participar de festas e celebrações do tipo novamente. Dessa vez inteira. Talvez até novinha em folha. Como diria o clássico e lendário Robocop (puts!): "Eles consertam tudo". Será? Só acredito vendo.